Lenda Basquiat homenageado em diferentes partes mundo

Lenda Basquiat homenageado em diferentes partes mundo

A obra de Jean-Michel Basquiat, que se tornou conhecido pelo grande público por fazer parte da cena pop-art nova-iorquina dos anos 1980, continua mais actual do que nunca, tão pioneiro e visionário como já era na época. As suas pinturas destacam a herança africana, questões sociais e o racismo generalizado. 

Como um forasteiro excêntrico e astro explorado do seu tempo, Jean-Michel Basquiat é uma das figuras mais significativas da arte contemporânea. “Ele foi um gênio precoce que fez obras para um mundo que não necessariamente o compreendia”, considera Franklin Sirmans, director do Museu Perez, em Miami. Porque ele também teve de lutar com o complexo mundo da arte da sua época, no qual foi um dos poucos artistas negros a ter alcançado tanto sucesso. 

Filho de pai haitiano-americano e mãe porto-riquenha, Jean-Michel Basquiat (1960-1988), um jovem ousado, fugiu de casa aos 17 anos, primeiro começando como grafiteiro e às vezes vivendo de arte de rua. Durante sua breve, mas prolífica carreira, chegando à cena como um artista totalmente treinado, sem nunca ter frequentado uma escola de artes, ele teve uma compreensão inata de cor e composição. “Minha mãe, que adorava desenhar, me deu todo o básico me levando para conhecer o Metropolitan Museum of Art de Nova York e o Brooklyn Museum”, disse o artista. 

Personagem irreverente, tanto pessoal quanto artisticamente, tinha uma enorme vontade de reconhecimento, admirando as estrelas e frequentando as festas e coquetéis mais exclusivos de Nova York. Ficou amigo de Andy Warhol, ainda aos 17 anos, e ambos desenvolveram uma admiração e influência mútua, como relata a exposição Basquiat × Warhol, a quatro mãos, na Fundação Louis Vuitton, em Paris. “Jean-Michel me fez pintar de forma diferente e isso é bom”, escreveu Warhol no seu diário em 1984. “Andy começou a maioria das pinturas. Ele colocou algo muito reconhecível, o logotipo de uma marca e de certa forma eu desfigurei. Aí tentei fazer com que ele voltasse, queria que ele pintasse de novo”, afirmou Jean-Michel Basquiat. 

Hoje, trinta e cinco anos após a sua morte prematura, Basquiat é o artista negro mais requisitado da história, tendo saído das ruas para o sucesso mundial, que criou um estilo muito pessoal e deixou para trás uma obra enorme, que hoje é vendida por dezenas de milhões de dólares. Curiosamente, ele vendeu a sua primeira tela por 200 dólares em 1981, sua vibrante pintura de caveira é o sexto maior leilão do mundo, com 110,5 milhões de dólares em 2017.

A sua arte, que inclui centenas de pinturas, desenhos e intervenções sobre objectos, é pontuada por elementos urbanos, carregados de símbolos repetidos, como caveiras ou coroas, aos quais os historiadores atribuem múltiplos significados e que hoje fazem parte da cultura popular, como pode ser visto através de colaborações com marcas de street wear como Reebok ou Converse ou quando o seu nome é mencionado em textos de artistas contemporâneos como Jay-Z ou Kanye West.

Para comemorar o 35º aniversário da morte súbita e lamentável do artista, durante um ano e meio foram organizadas nada menos que sete exposições e dois espaços permanentes em todo o mundo para homenagear a lenda Basquiat, cuja notoriedade assumiu proporções astronómicas ao longo do tempo. 

Esses eventos incluem a exposição Jean-Michel Basquiat: King Pleasure, apresentado em Nova York e depois em Los Angeles, que apresenta mais de duzentas peças raras e inéditas, uma infinidade de objectos pessoais (certidão de nascimento, boletins escolares, bicicleta, cadernos de desenho, anotações, vídeos Super-8 de sua infância, geleira grafitada) e reconstruções da casa e ateliê da família do artista. Esta exposição, organizada de forma inédita pelas irmãs Lisane Basquiat e Jeanine Heriveaux, diretoras e curadoras do projecto, mostra o ponto de vista da família como nunca havia sido contado, com um olhar de dentro do quotidiano da artista, também acusado de ter transformado o legado de Basquiat como uma inesgotável fonte de renda: moletons, camisetas, quebra-cabeças, skates, copos, ímãs, etc.

Além disso, o Atelier Jolie em Nova Iorque é o espaço onde Jean-Michel Basquiat viveu e trabalhou de 1983 a 1988, que alugou à estrela do pop art Andy Warhol e que a famosa actriz e realizadora americana Angelina Jolie trará de volta à vida de acordo com o seu interesse pelas artes, tornando-se o orgulhoso inquilino de um dos edifícios mais lendários de Manhattan, ao preço de 60.000 dólares por mês. Localizado na 57 Great Jones Street, o edifício de três andares e 613 metros quadrados receberá designers de moda de todo o mundo que poderão trabalhar e expor suas criações. Respeitando o espírito do lugar, Angelina Jolie especificou que não tocaria nem na arte de rua nem nas etiquetas que actualmente cobrem a vista frontal, em homenagem a este pioneiro do movimento underground nova-iorquino que salpicou os bairros com numerosos grafites assinados. (“Same Old Shit”), nem à placa comemorativa afixada na fachada do edifício que indica que Basquiat morreu aqui de overdose em 1988, aos 27 anos e onde começou a lenda.

Exposição em Viena (9/9/22-8/1/23):

https://www.albertina.at/en/exhibitions/basquiat/

Exposição em Montreal (15/10/22-19/02/23):

https://www.mbam.qc.ca/en/exhibitions/jean-michel-basquiat/

Exposição em Paris (6/4/23-30/7/23):

https://philharmoniedeparis.fr/fr/activite/exposition/24617-basquiat-soundtracks

Exposição em Basileia (11/6/23-27/8/23):

https://www.fondationbeyeler.ch/fr/expositions/jean-michel-basquiat

Exposição em Paris (5/4/23-28/8/23):

https://www.fondationlouisvuitton.fr/fr/evenements/basquiat-x-warhol-a-quatre-mains

Exposição em Nova Iorque (1/6-30/9/22) e em Los Angeles até 15/10/23:

https://kingpleasure.basquiat.com

Exposição permanente em Barcelona:

https://mocomuseum.com/exhibitions/barcelona/modern-masters/15329

Novo espaço:

https://www.atelierjolie.com

Listen Like Basquiat: Nightlife Spotify playlist para acompanhar a exposição King Pleasure:

https://open.spotify.com/playlist/37i9dQZF1DX49fKuFU37dw

Por Christine Cibert

Artigos relacionados

BOLETIM SEMANAL!

Radar

Nossas melhores ideias, novidades, tendências, e pensamentos.

PT / ENG

+